quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Entorno DF: Greve em menos de dois meses na Viação Anapolina

Por Rafael Martins

Os rodoviários da Viação Anapolina/Viação Luziânia decretaram greve por tempo indeterminado nas cidades do Entorno Sul por falta de pagamento de salário. Há quase dois meses, a região ficou sem transporte pelo mesmo motivo.

Em Cidade Ocidental, cerca de 20 mil passageiros ficaram sem ônibus para o Distrito Federal. Cerca de 90 ônibus não saíram da garagem. Na época, os funcionários reivindicavam melhorias nas condições de trabalho e aumento salarial. De acordo com alguns motoristas, os salários de mais de 300 empregados estavam atrasados há dois meses. Parece que nestes dois meses, a situação praticamente não mudou.

Em julho, as saídas das garagens das demais cidades do Entorno Sul foram bloqueadas pelos funcionários. A Polícia Militar foi chamada para conter possíveis depredações e ações de vandalismo. Sem ônibus, os passageiros protestaram e alguns manifestantes entraram em confronto com a Polícia.

Após os rodoviários entrarem em greve na Cidade Ocidental, foi a vez dos funcionários do Novo Gama pararem suas atividades. Ontem (10) no Lago Azul funcionários saíram pelo centro comercial do bairro com o grito “Salário, cadê você? Vim aqui só para te ver”.

Um efeito dominó foi desencadeado. Jardim Ingá, Valparaíso e Luziânia ficaram sem ônibus hoje (11).

Temendo depredações nos coletivos, a Viação Grande Brasília, que circula com liminar da Justiça Federal na região, colocou poucos ônibus para atender as cidades do Entorno Sul.

Em julho com a onda de paralisações, a administração da Vian disse ao G1 que a situação está acontecendo por conta de problemas financeiros e que na medida do possível, tudo se normalizará. Sobre as condições precárias dos ônibus, o advogado da empresa, Antenor Mito, informou ao G1 que não há veículos sucateados circulando e que os mesmos passam por vistorias constantemente. Em relação à segurança dos colaboradores da empresa, Antenor afirmou que este "é um trabalho da polícia".