sexta-feira, 28 de maio de 2010

Goiânia: Setransp contesta denúncia de advogado

CEI recebe denúncias de irregularidades na licitação e apura o caos que se instalou no transporte coletivo metropolitano


Presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano da Região Metropolitana de Goiânia (Setransp), Edmundo Pinheiro afirmou ontem que as alegações sobre irregularidades na entidade apresentadas pelo advogado Júlio César Queiroz e Rabelo, na semana passada, não representam qualquer novidade no caso de denúncia sobre supostas fraudes no sindicato. O advogado prestou o relato durante uma reunião da Comissão Especial de Inquérito (CEI), da Câmara de Vereadores, que acompanha o caso.

De acordo com o presidente do Setransp, as denúncias e alegações do advogado aos membros da CEI e todos os documentos entregues já integram os autos do inquérito civil público que foi instaurado no começo do mês de março por iniciativa do próprio do Setransp para apurar as denúncias feitas por Rabelo.

Por meio de nota, o dirigente sindical Edmundo Pinheiro afirmou que representantes do Setransp têm de ser ouvidos pelos vereadores para esclarecer alguns dos pontos abordados pelo advogado e que seriam contraditórios ou “inverdades”, conforme descreve o texto.

Caso

A questão tornou-se pública, no mês de março último, quando o presidente do Setransp concedeu entrevista coletiva à imprensa para explicar o ingresso de representação em desfavor aos advogados do escritório Sociatus, que teriam submetido a direção da entidade sindical a uma extorsão, dias depois tendo sido instaurado um inquérito civil público por parte da 50ª Promotoria de Justiça do Ministério Público Estadual.


Fonte: O Popular (http://www.opopular.com.br/)