segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Entorno DF: Rota do Sol sofre nova derrota na Justiça Federal

Por Rafael Martins

A Rota do Sol recorreu da decisão da própria Justiça Federal que, durante o plantão judicial, indeferiu o pedido de liminar em mandado de segurança impetrado contra ato do Diretor da ANTT, para que fosse suspensa a decisão administrativa que a desclassificou de procedimento licitatório.

Em decisão publicada hoje (15) no Diário de Justiça, o Des. Federal Daniel Paes Ribeiro, manteve a decisão anterior e enfatizou que a empresa confessadamente, não cumpriu o previsto no edital, deixando de observar os itens 29, 30.1 e 70.5 do Edital, razão pela qual não se vislumbra, em um exame preliminar da controvérsia, a relevância da fundamentação para que a antecipação de tutela fosse deferida. A aderir aos fundamentos expostos na decisão agravada, o magistrado indeferiu o pedido da Rota do Sol.

Goiânia: Prefeito de Senador Canedo desmente o bate-boca sobre a extensão do Eixo na CDTC

Por Rafael Martins

A assessoria da Prefeitura de Senador Canedo divulgou uma nota de esclarecimento que rebate a reportagem veiculada na última sexta-feira (12) no Jornal O Popular, de que o prefeito da referida cidade protagonizou um bate-boca na CDTC junto com o Secretário Estadual das Cidades, João Balestra, acerca da extensão do Eixo Anhanguera.

Nota de esclarecimento

A Prefeitura de Senador Canedo, informa que o prefeito Misael Oliveira, é totalmente favorável a extensão da linha do Eixo-Anhanguera de Goiânia até Senador Canedo, com tarifa de R$ 1,40. Diferentemente do que foi divulgado em parte da imprensa, a verdade é que, na última reunião da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CTDC), realizada no último dia 11 de setembro, o prefeito Misael Oliveira, se manteve contra a extinção das linhas alimentadoras e não colocação de abrigos para os usuários do transporte coletivo do Conjunto Valéria Perillo e Região da Vila Galvão, conforme foi proposto no parecer da CDTC.

De acordo com a proposta, após implantação do eixo, os moradores da região da Vila Galvão e Valéria Perillo, terão que caminhar até a GO-403 para ter acesso ao transporte coletivo.

“Se a decisão for tomada do jeito que foi proposto, os moradores terão que sair de suas casas 4 horas da manhã, para pegar o ônibus. Não podemos aceitar isso, estou a favor dos moradores da Região da Vila Galvão”, informou o prefeito. “Em minha história política, sempre foi a favor do povo, e é não agora, que tomaria uma decisão desfavorável aos canedenses”, esclareceu Misael Oliveira.

DF: Após greve, rodoviários voltam ao trabalho e esperam negociação

Os 700 funcionários da Cootarde, cooperativa de transporte que atende dez regiões do DF, voltaram ao trabalho na tarde desta segunda-feira (15), após paralisação iniciada durante a manhã. Aos trabalhadores foi oferecido um reajuste salarial de 7%, mas eles têm outras reivindicações. Uma nova reunião entre representantes dos funcionários e a cooperativa está marcada para esta terça-feira (16).

De acordo com os rodoviários, uma nova paralisação pode ser feita nesta quarta-feira (17) caso o DFTrans (Transporte Público do Distrito Federal) seja contrário às reivindicações.

Com a paralisação dos funcionários, a cooperativa responsável pelos microônibus estima que cerca de 110 mil passageiros tenham ficado sem os ônibus. Segundo os rodoviários, a data base da categoria foi em maio deste ano, mas nada foi repassado aos trabalhadores. Outro problema apresentado pelos rodoviários são as condições de trabalho. Segundo eles, falta segurança, os veículos são velhos, falta conforto para os trabalhadores e passageiros.

O diretor da Cootarde, Davino Cavalcante, informou que não há possibilidade de atender as reivindicações da categoria. Segundo ele, será necessário negociação com o GDF para tentar atender algumas reivindicações. Os rodoviários já afirmaram que só voltam ao trabalho quando receberem uma proposta razoável.

Fonte: R7 DF

Goiânia: Linhas do transporte coletivo terão itinerários alterados na Avenida São Paulo

O itinerário dos ônibus do transporte coletivo, que trafegam pela Avenida São Paulo, em Aparecida de Goiânia, será alterado a partir desta terça-feira, 16, devido à interdição de trecho para a realização de canalização subterrânea pela Saneago (Saneamento de Goiás S/A). A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) informa que 12 linhas terão modificações até o dia 23 de setembro, data de previsão para a conclusão da intervenção.

Com a interdição temporária do trecho da Avenida São Paulo, em frente aos Correios, no Jardim Esmeralda, pela Superintendência Municipal de Trânsito, de Aparecida (SMTA), as linhas 006, 010, 020 e 906 deixarão de trafegar pelas Avenidas Tapajós e São Paulo. Os ônibus destas linhas vão passar pela Avenida Rio Verde.

As linhas 007, 650 e 651 vão trafegar pela Avenida Rudá e Avenida Bela Vista retornando ao itinerário normal na Avenida 4ª Radial. Já a linha 011 vai passar pelas Avenidas Rudá e Bela Vista, mas fará retorno na Avenida 4ª Radial para acessar a Avenida Transbrasiliana e retornar ao itinerário normal.

No trecho da Avenida São Paulo, entre as Avenidas Rudá e Transbrasiliana, os pontos de embarque e desembarque serão desativados temporariamente. Os pontos que continuam ativos são os que estão localizados antes da Avenida Tapajós e após a Avenida Transbrasiliana.

Fonte: Prefeitura de Goiânia

DF: Impasse entre Cootarde e DFTrans

Motoristas e cobradores de micro-ônibus da cooperativa Cootarde ficaram sete horas sem trabalhar na manhã desta segunda-feira (15) em Ceilândia, no Distrito Federal. Dos 150 veículos de médio porte da empresa, 110 deixaram de rodar entre as 5h e o meio-dia. Os rodoviários reivindicam melhorias salariais. O G1 ligou para representantes do sindicato da categoria, mas não conseguiu contato até a publicação desta reportagem..

Segundo um dos diretores da Cootarde, Davino Alves Cavalcante, as linhas prejudicadas pelo protesto rodam dentro de Ceilândia e fazem a integração da região com Taguatinga. Ele afirma que os rodoviários cobram um reajuste salarial de 20%.

"Esse valor foi fixado em maio para os funcionários das bacias de transporte em maio, e nossos funcionários querem o mesmo reajuste, porque também são rodoviários", afirma.

Segundo ele, a Cootarde reconhece o direito dos trabalhadores, mas espera um subsídio do governo do Distrito Federal para conceder o aumento. "Não temos de onde tirar esse dinheiro, vamos negociar uma saída com o DFTrans", diz Cavalcanti.

O DFTrans afirmou ao G1 que não trabalha com subsídios às empresas e cooperativas, e que espera que todas os grupos vencedores de licitações consigam arcar com a viabilidade apresentada no momento do contrato.

Ainda segundo o DFTrans, 40 ônibus das empresas Marechal e São José circularam nas linhas da Cootarde durante a paralisação. As linhas da cooperativa são cadastradas nas redes das duas empresas e, por isso, a substituição pode ser feita imediatamente.

De acordo com o órgão, os 40 ônibus convencionais são suficientes para suprir a demanda, e o serviço de ouvidoria não registrou reclamações acerca destas linhas na manhã desta segunda.

Até as 15h desta segunda, representantes dos funcionários da Cootarde e da direção da empresa aguardavam reunião no DFTrans para negociar o pagamento dos rodoviários.

Além de Ceilândia, a Cootarde atua em linhas de Taguatinga, Gama, Santa Maria e Brazlândia, com 150 micro-ônibus e 50 ônibus convencionais. A cooperativa tem 600 funcionários entre motoristas e cobradores e atende cerca de 110 mil passageiros por dia.

Fonte: G1 DF

DF: Rodoviários da Cootarde ameaçam paralisar outra vez nesta terça

Rodoviários da Cooperativa de Transportes do Distrito Federal (Cootarde) de Ceilândia pararam as atividades nesta segunda-feira (15/9) por mais de seis horas. Um total de 50 micro-ônibus ficou fora de circulação entre as 6h e as 12h30.

Os pelo menos 220 motoristas e cobradores da Cootarde reivindicam aumento salarial e de benefícios, como auxílio-transporte e vale-alimentação. Os valores atuais são de R$ 282 (transporte) e R$ 128 (alimentação) e a proposta é elevação a R$ 400 e R$ 212. Quanto aos rendimentos, motoristas recebem R$ 1.019 e cobradores, R$ 729. A paralisação é por tempo indeterminado.

Segundo o Sindicato dos Rodoviários, uma reunião está prevista para as 17h com representantes da categoria, da empresa e da Secretaria dos Transportes. A ideia é paralisar por volta das 13h desta terça-feira (16/9) novamente caso não haja acordo no encontro desta tarde.

Fonte: Correio Braziliense

Entorno DF: Após licitação, frota do Entorno Sul será dobrada

Por Rafael Martins

Enquanto a ANTT não reabre a licitação para os lotes 1 e 2, ao menos uma boa notícia para quem depende do transporte no Entorno Sul. A região é a maior em quantidade de linhas e passageiros transportados. Ao todo mais de 150 mil pessoas deslocam-se diariamente nas 384 linhas que ligam estes municípios goianos à capital federal.

Desde que a principal empresa que atendia o Entorno Sul fechou as portas, as reclamações sobre a falta de ônibus tornaram-se mais que frequentes. A frota operacional hoje na região, segundo dados da ANTT referentes a este mês, são de 386 veículos. Após a conclusão da licitação, a frota chegará a 775 ônibus.

Dos municípios do Entorno Sul, apenas o Novo Gama já tem as empresas pré-definidas, uma vez que a licitação não está concluída e faltam duas fases para o término do certame. A UTB, que concorre ao Lote 3, caso seja vencedora, vai operar na linha que liga o Novo Gama à Brasília. As linhas que ligam o município à Taguatinga e Gama estão inseridas no Lote 4, o qual a Taguatur é proponente.

Não só a frota do Entorno Sul aumentará, mas sim de toda a região do Entorno DF. Atualmente cerca de 15 empresas operam em pouco mais de 700 ônibus em que são transportados mais de 300 mil passageiros/dia. Após a conclusão do certame, 1405 ônibus vão operar nas 551 linhas de toda a região.

Dados da frota operacional no Entorno Sul

Grande Brasília - 111 ônibus

G20 Transportes - 15 ônibus

Catedral Turismo - 106 ônibus

Mais X Turismo e Empreendimentos - 21 ônibus

Rota do Sol - 38 ônibus

UTB - 95 ônibus

Saiba mais sobre a licitação do Entorno do DF aqui.