quinta-feira, 24 de abril de 2014

Entorno DF: Empresas autorizadas pela ANTT para o Entorno Sul sofrem ameaças

As empresas autorizadas pela ANTT a atender o Entorno sul denunciaram, em reunião na tarde de hoje, na Agência, que sofreram ameaças de rodoviários que se identificaram como funcionários da empresa Anapolina.

Nas denuncias relatadas, os empresários citaram a possibilidade de terem seus veículos depredados caso coloquem seus carros em circulação nos próximos dias.

A ANTT trabalha diariamente na busca de soluções para o transporte do Entorno. No entanto, esse tipo de ameaça e os constantes bloqueios da BR 040, têm dificultado o restabelecimento da normalidade do sistema semiurbano na região.

Fonte: ANTT

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Goiânia: Justa causa em uso de cartão

A utilização do cartão de passe livre, de uso personalíssimo, por terceiro configura motivo para dispensa por justa causa. Esse é o entendimento do TRT-GO, que confirmou a demissão de um trabalhador da Cootego, que cedeu o cartão para a mulher. O relator, Gentil Pio de Oliveira, acolheu a divergência apresentada pelo desembargador Eugênio Cesário, porque o ato do empregado está disciplinado como falta grave em convenção coletiva. “A punição deve ser exemplar, de modo a impedir que outros empregados tenham a mesma atitude sem receio de punição severa”, disse o magistrado. O advogado Francisco Costa defendeu a Cootego, que integra o consórcio de transporte coletivo de Goiânia.

Fonte: O Popular

Goiânia: Desvio na GO-080, saída de Goiânia, começa a funcionar

As obras do desvio executadas pela Agetop no cruzamento da Avenida Perimetral Norte com a GO-080 estão em conclusão. O complexo que compreende o desvio (ruas, avenidas, nova pista pavimentada e sinalização) começa a ser utilizado nesta quinta-feira (24/04), já adaptado também ao transporte coletivo. Construído para tirar o tráfego do local onde será edificado um viaduto pela Agetop, o desvio, que seguiu normas da engenharia de tráfego, para acesso a GO-080, à Perimetral e aos bairros adjacentes, se encontra com placas orientando a direção desejada.

Idealizado para contemplar o tráfego nos sentidos oeste-leste, leste-oeste e norte-sul o desvio passará pelas Avenidas São Francisco e João Leite, no Setor Santa Genoveva, próximo ao Aeroporto, nas Avenidas Pedro Paulo, Afonso Pena, Esperança e Napoleão Laurindo entre os bairros São Judas Tadeu e Itatiaia, e em parte da própria Avenida Perimetral e GO-080, próximo ao Setor Goiânia 2. Sinaleiros foram implantados em alguns cruzamentos para facilitar o tráfego e eliminar congestionamentos.

Folders com mapa ilustrativo e a identificação das rotas, com as mudanças propostas pelo desvio, estão sendo distribuídos pela Agetop aos usuários, nos semáforos, e a moradores e comerciantes dos bairros adjacentes ao desvio.

Fonte: Agetop

Entorno DF: ANTT recebe delegação de funcionários da Anapolina/Vian para discutir situação da empresa

A ANTT recebeu, hoje (23/04), pela manhã, um grupo de vinte representantes dos funcionários das empresas do grupo Anapolina para discutir a situação dessas operadoras do sistema do serviço semiurbano do Entorno Sul. Também esteve presente o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário, Reiman Ferreira Rocha.

A Agência vem intermediando os entendimentos entre os funcionários e as empresas na busca de solução para os problemas que atingem o sistema de transporte de passageiros da região. A principal reivindicação apresentada, que não está dentro do escopo de competência da Agência, é em relação a questões trabalhistas, inclusive baixa na carteira profissional desses funcionários.

Ficou decidido que o Sindicato dos Trabalhadores, por meio de seu presidente, Reiman Ferreira Rocha, entrará imediatamente com ação na Justiça para obtenção do direito de baixa na Carteira de Trabalho dos funcionários. Com a decisão judicial favorável, eles poderão receber seus direitos trabalhistas (como FGTS e Seguro Desemprego) e estarão livres para serem absorvidos por outras empresas.

A ANTT forneceu aos representantes dos funcionários cópia de ofício afirmando, oficialmente, que a operadora do transporte semiurbano não presta o serviço desde o dia 07 deste mês.

Uma equipe da ANTT, juntamente com um representante do Ministério Público do Trabalho vai marcar audiência com o Juiz, ao qual for distribuída a ação trabalhista do sindicato, para explicar-lhe a situação da empresa, que não opera nem recebe os funcionários para definir a situação deles.

Fonte: ANTT

DF: Barreira impede entrada de pilotos, e Metrô roda com sete trens

Uma barreira montada por sindicalistas em frente à sala de controle do Metrô impediu a entrada de pilotos no início da manhã desta quarta-feira (23) no Distrito Federal. Com isso, em vez dos 12 veículos que deveriam circular no horário, como determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho no dia 15 deste mês, apenas sete trens realizam a operação. A categoria retomou a greve no dia 14, e pede redução de carga horária e reajuste salarial.

De acordo com a direção da empresa, a segurança foi reforçada no local para garantir o início das atividades. O tempo de espera nas estações chegava a 22 minutos pela manhã. Diretora do Sindicato dos Metroviários, Tânia Viana, negou que os metroviários estivessem impedindo a operação.

“Não há nenhuma confusão. Temos dois representantes junto aos pilotos para acompanhar as atividades. Até então, os oficiais de Justiça nos acompanhavam e faziam com que rodássemos com 12 trens o tempo todo. O que aconteceu pela manhã é que o Metrô só liberou sete trens, porque quer que descumpramos a determinação”, afirmou.

A empresa nega que tenha adotado a postura relatada pelo sindicato. A multa pelo descumprimento da determinação do TRT é de R$ 50 mil por dia.

A greve dos metroviários começou à meia-noite dia 4 e chegou a ficar quatro dias suspensa para negociações. O caso foi levado para a Justiça, mas as audiências de conciliação terminaram sem acordo.

Entre as propostas da empresa estavam a reposição do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que foi de 5% no ano passado, mais 1,5% sobre salários e benefícios, 110 bilhetes de quebra de caixa, implementação de previdência complementar a partir de janeiro de 2015 e correção de distorções salariais no período de 2005 a 2009.

O Sindicato dos Metroviários reivindica correção das distorções salariais do plano de carreira, redução da jornada de trabalho para seis horas, reajuste salarial de 10%, previdência complementar e aumento da quebra de caixa da bilheteria.

O sistema conta hoje com 1.080 funcionários, sendo 600 do setor operacional. De acordo com a autarquia, cerca de 140 mil pessoas utilizam diariamente este tipo de transporte.

Fonte: G1 DF

Entorno DF: Funcionários da Anapolina protestam por salários atrasados

Motoristas e cobradores da Viação Anapolina protestam em frente a sede da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e cobram soluções para as pendências trabalhistas que a empresa deve a eles. Segundo o sindicato da categoria, os rodoviários estão há dois meses sem receber salários e auxílio-alimentação. Cerca de 500 pessoas participam do protesto e o sindicato espera outros 700.

Segundo a cobradora Rosiane Maria da Silva, 20 anos, a empresa não procurou nenhum funcionário para se explicar. "É um absurdo, não deram nenhuma satisfação para nós. Já que eles não querem diálogo, nos vamos protestar e cobrar do governo. Queremos apenas o que é nosso por direito", afirma.

O motorista Sandro da Silva, 37 anos, está há seis anos na Anapolina e revela que está há três meses sem receber salário. "Tirei férias e desde então não me pagaram. Não houve consideração nenhuma por todos nós que trabalhamos em ônibus péssimos e que quebram constantemente", disse. Além disso, Sandro critica a falta de posicionamento da Vian: "Quando pedimos respostas para a empresa, dizem que não é possível fazer nada".

Os rodoviários disseram ainda que estão pagando passagem nos veículos das novas empresas, uma vez que os motoristas não aceitam que eles entrem pela porta traseira.

Sem acordo

Mesmo sem trabalhar, os rodoviários ainda tem vínculos empregatícios com a Viação Anapolina. De acordo com o sindicato, foi tentado um acordo para que motoristas e cobradores fossem demitidos e que outras empresas pudessem os contratar, mas a categoria não chegou a um acordo e os funcionários permanecem contratados pela empresa. Auxiliar de escritório, Mariana de Oliveira, 17 anos, pede por uma solução do problema. "Ou fecha a empresa de uma vez ou retoma as atividades com pagamento. Do jeito que está, não pode ficar", argumenta.

Segundo o diretor-secretário do Sindicato dos Rodoviários do Entorno Sul José Moreira, o sindicato busca soluções junto a ANTT e a Viação Anapolina. "Estamos com uma pauta de reivindicações, entre elas a retirada de piratas e a volta imediata da Anapolina para que os funcionários trabalhem normalmente e recebam seus salários. Não foi dada a baixa na carteira de trabalho de nenhum deles, o que possibilita o retorno ao trabalho", explica, acrescentando que, caso os contratos sejam encerrados, a intenção é que novas frotas e empresas contratem os funcionários prejudicados.

Nesta quarta-feira (23) completou 16 dias que a Vian parou de circular na região do Entorno Sul do Distrito Federal. Os rodoviários da empresa afirmam que a Vian e a ANTT não deu satisfação a eles sobre a paralisação geral das linhas, que estão sendo operadas por novas empresas contratadas emergencialmente.

Sem combustível

A paralisação das linhas da Vian teve início após a empresa alegar que não havia combustível nas garagens para os veículos circularem. No entanto, o Sindicato dos Rodoviários do Entorno Sul informou que o óleo diesel para abastecer os veículos chegou há mais de dez dias, mas a empresa não permite que os ônibus saiam das garagens.

A alegação da empresa, segundo o Sindicato, é que não há dinheiro em caixa para pagar os rodoviários. A Anapolina foi procurada pela reportagem, mas nenhum diretor ou representante foi encontrado para falar. A situação da empresa é precária: ônibus velhos e em más condições para circular. Os rodoviários cobram da Agência de Transportes uma solução amigável, uma vez que a agência é detentora das linhas que a Anapolina operava.

Os funcionários se deslocaram do Jardim Ingá, Cidade Ocidental e Lago Azul em treze ônibus da empresa. Um grupo de rodoviários entrou para uma reunião com representantes da ANTT. O protesto segue sem hora para terminar. A Polícia Militar acompanha a manifestação.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Entorno DF: Ônibus do Entorno quebra e passageiros bloqueiam pista da BR-040

Passageiros bloquearam a pista no sentido Brasília da BR-040, na manhã desta quarta-feira (23/4), próximo ao Sítio do Gama. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a via ficou fechada durante 20 minutos.

A PRF informou que os manifestantes bloquearam a BR, depois que um ônibus do Entorno quebrou por volta das 6h40. O trânsito ficou mais complicado do que o habitual na via.

Fonte: Correio Braziliense